Historial

HISTÓRIA DO TÉNIS NO AVELAR E DA FUNDAÇÃO DA ACADEMIA

No Avelar sempre houve alguns aficionados e praticantes de ténis que, de uma forma mais isolada e esporádica iam fazendo uns jogos, mas sempre fora da vila por não existir aqui nenhum espaço apropriado.

Em julho de 1988, é organizado o 1º Avelar Open, e sem qualquer espaço próprio para o efeito, foi no pavilhão da extinta fábrica de lanifícios Miltex (famoso pelas passagens de ano e bailes de finalistas) que se encontrou a melhor alternativa.

O torneio decorreu em duas fases – grupos + eliminatórias – sendo a final conquistada pelo Alexandre Jorge “Condorcet” no confronto com o Alcino Oliveira.

Entre os participantes, para além dos já referidos, constam nomes como o de Pedro Alves “Pierrot” e Ricardo Cristão, ainda hoje jogadores de ténis bastante ativos.

Ao longo dos tempos, muitos interessados tiveram o seu primeiro contacto com este desporto ao ingressar no ensino superior – Coimbra, Lisboa, etc. – onde a modalidade de encontra implantada há já vários anos.

Com a construção de alguns polidesportivos, nomeadamente nas freguesias de Ansião e Pousaflores, a prática do ténis enraizou-se um pouco mais entre os Avelarenses, devido à proximidade destes equipamentos.

Mais recentemente, com a construção do Polidesportivo de Avelar ao lado do Hospital da Fundação de Nossa Srª da Guia, é criado o espaço que faltava para responder à “procura” existente, possibilitando uma prática mais frequente, dando outra visibilidade ao desporto, despertando assim a curiosidade e o interesse por parte de quem agora podia assistir a alguns jogos que ali se iam realizando.

O grupo de praticantes foi aumentando e em 2013, surge a ideia de organizarem novamente um torneio de ténis, o “II Avelar Open”, integrado nas Festas em Honra de Nossa Senhora da Guia.

O evento teve bastante sucesso e visibilidade, fazendo com que mais pessoas se interessassem em aprender e praticar ténis, dando assim, em 19 de setembro de 2013, origem à fundação da Academia de Ténis, com as aulas a cargo do Pedro Alves “Pierrot”, cuja experiência e nível técnico permitiu uma correta aprendizagem das técnicas e das regras do jogo.

Desde então, o número de praticantes continuou a aumentar, surgindo a necessidade de “arrumar a casa”.

Em 2016 os “pioneiros” em conjunto com os restantes elementos que fazem agora parte dos órgãos sociais constituem formalmente uma associação, por escritura pública outorgada em 06 de agosto de 2016.

Apesar da sua curta existência, a Academia de Ténis tem já um vasto registo de organização de torneios sociais e de participação em várias competições.